Nota de uma consumidora infeliz.

1 08 2011

Como nem tudo nessa vida é desgraça, e sim, você pode aprender com os casos desastrosos das outras pessoas, resolvi compartilhar a história abaixo na esperança que, no futuro, possa ajudar alguém. Aproveitem.

O drama Correios x Camila aconteceu mais ou menos assim, como escrevi para a Ouvidoria da empresa no dia 6 de julho, depois de inúmeras reclamações via telefone e internet:

Aguardo minha correspondência chegar via Sedex (SZ231203613BR) desde o dia 22 de junho de 2011. O conteúdo – meu aparelho celular – foi esquecido por mim em um táxi em Anápolis/GO, cidade que estava a trabalho. Consegui realizar a parte mais trabalhosa: o taxista postou meu celular através dos Correios no dia seguinte para a minha residência, em São Paulo/SP. Entretanto, a parte menos trabalhosa dessa história – com a qual não esperava ter qualquer tipo de problema – falhou. Até hoje, dia 06 de julho, aguardo pelo pacote, que não foi entregue pelos Correios.

Entrei com um pedido formal de reclamação, através do site, e passado os cinco dias úteis para a obtenção de uma resposta, continuo sem saber qualquer informação. Já inclusive liguei para o atendimento ao cliente, que confirmou a falta de informação sobre o destino do pacote.

Gostaria de deixar claro que sempre confiei nos serviços prestados pelos Correios até a presente data, contudo essa confiança não existe mais. Dessa maneira só posso registrar aqui a minha indignação.

Sou jornalista e dependo do meu número – e aparelho – telefônico para poder trabalhar. Essa situação já se prolongou muito mais do que eu esperava. Por isso, afirmo que se nenhuma posição for comunicada até o fim dessa semana, não me resta mais nada a fazer a não ser dar entrada a uma reclamação através do PROCON e meios de comunicação.

Gostaria também de afirmar que o valor pago pelo reembolso do sedex não chega nem perto de uma compensação justa, caso os Correios não consigam informar onde, afinal, se encontra o pacote enviado a mim. A perda de meu celular implicará em uma indenização por perdas e danos morais.

Confiante que a localização de minha correspondência também é de interesse dos Correios, que tem a responsabilidade sobre seus serviços, aguardo o melhor final possível para essa infeliz situação.

Sem mais,

Camila Pastorelli

Depois dessa carta, resolveram me informar que o objeto havia sido extraviado mesmo. Claro! Já que imagino a mobilização interna incrível entre os funcionários, com até mesmo a comunicação interna da empresa repassando minha cartinha, para que uma busca insana fosse feita entre pacotes e encomendas alheios, antes de decidirem me informar o “extraviático” resultado.

Enfim, com isso oficializado, veio a segunda parte – a “indenização” – que somente poderia ser depositada na conta do remetente, no caso, o taxista de Anápolis. Lá se foram mais alguns dias, trocando mensagens com alguém (já que eles não assinam) através do site dos Correios. Expliquei, com a pouca educação que me restava, que havia sido eu quem pagou pelo Sedex e bla bla bla. Resumo da história: mais uma vez, tive que incomodar o taxista para pedir que ele ligasse para os Correios e autorizasse o depósito em minha conta.

Em meio a tudo isso, já que a minha vida é super tranqüila e tenho todo o tempo do mundo para ficar de “tralalá” com quem não faz seu trabalho direito, resolvi apelar. Madrugada a dentro, busquei meios para que mais pessoas pudessem saber o que havia acontecido e, quem sabe assim, com platéia, os Correios resolvessem se mexer (nesse caso, ponto para a internet!).

Portanto, nobre leitor-consumidor, fica a dica se um dia você tiver problemas com qualquer empresa/produto/serviço:

1) Entre em contato com o Procon. No site, vá até a aba Formas de Atendimento. Você pode escrever, resumindo um pouco do seu dilema, para assim eles poderem te encaminhar para a melhor solução. De fato, eles respondem e te auxiliam. Você pode tentar resolver tudo pela internet, telefone ou dar entrada formal pelo Poupa Tempo. Ponto para o Procon!

2) Acesse o site Reclame Aqui, cadastre-se e publique sua reclamação. Se a empresa tiver seu SAC cadastrado no site, sua mensagem é encaminhada a eles e você pode aguardar uma resposta. De qualquer maneira, sua manifestação fica publicada e você mesmo poder divulgar por aí, como eu fiz: goo.gl/yC898.

3) Os jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo têm colunas voltadas para o consumidor insatisfeito. Para a Folha, escreva para folhaemergencia@uol.com.br, e para o Estadão, escreva para o consumidor.estado@grupoestado.com.br. Para ser sincera, não esperava que isso daria muito resultado. Eis que recebo um email da coluna Seus Direitos, do Estadão, e outro da coluna A cidade é sua, da Folha,  me encaminhando uma carta da assessoria dos Correios com uma resposta – dessa vez assinada, algo inédito. A assessora Adriana escreve que a carta “de igual conteúdo também será enviada ao jornal Folha de S. Paulo”. Vejam só, vocês.

Toda a dor de cabeça que tive com essa história foi válida, afinal. Ainda não acabou, é claro. Farei a entrada formal com o Procon, já que tive que comprar outro celular, outro chip, créditos e completar minha agenda de contatos de novo – alguns nomes e telefones foram embora de vez. Essa brincadeira toda não consta na indenização dos Correios – que ainda não foi paga, é bom deixar claro.

De qualquer forma, fiquei feliz. Se não tivesse corrido atrás dos meus direitos, esse curioso causo ia engordar a longa lista do país da piada pronta.

Anúncios

Ações

Information

7 responses

1 08 2011
Tempero Urbano

Oi, Camila, tudo bem?

Foi muito bom ler seu post! Já tive vários problemas, não com os Correios, mas com outras empresas, e o máximo que apelei foi para o Reclame aqui. Bom saber que outros meios também são válidos e nos trazem resultados.

Boa sorte!
bjos,
Paula Ricupero

2 08 2011
Camila Pastorelli

Oi, Paula!
Fico feliz que tenha aproveitado um pouco dessa história!
Bjs

8 11 2011
Helder Prado

Oi Camila.
O problema no Brasil não está na Ouvidoria e sim nos gestores. Seu post demonstra muito bem a situação.
Há os céticos e preconceituosos que duvidam que o taxista tenha postado o celular, mas a questão não está no que continha no pacote, pois seja lá o que quer que tenha sido postado teria sim que ser entregue.
A Ouvidoria, obrigatória nos serviços públicos, objetiva o “acerto” da “máquina”, quer por força de Lei ou por modismo, está presente em todas as instituições governamentais, suas prestadoras terceirizadas, fundações e autarquias.
No Brasil ocorre a absurda, descabida, incoerente e imoral atitude dos gestores em não quererem corrigir o que está errado, sendo mais cômodo mascarar falhas e não deixar aflorar erros. Esquecem que só está sujeito a erros quem executa. Como corrigir falhas se não querem saber se existem? Quem sofre com isso somos nós, os usuários.
É triste… Fico triste… Não há Gestores de fato neste país.
Mais triste ainda me sinto em saber que a escolha é nossa.
Parabéns pelo seu Blog.
Beijo.
Helder

19 02 2016
Valeria Costa

Olá. Boa noite! Estou tendo uma dor de cabeça tamanho gigante com os Correios. Gostaria de saber como terminou sua história.
Obrigada pelo post. Amanhã mesmo entrarei em contato com os jornais, reclame aqui e com o procon.

5 05 2016
Mariana

Oi Camila , estou tendo exatamente o mesmo problema, trata-se de um celular também, novo que um amigo de são Paulo trouxe dos EUA e colocou no correios pra mim em BH. Gostaria de saber se você recebeu indenização do valor do celular, pois caso o meu também seja extraviado, não tenho dinheiro nem pra comprar outro.

29 05 2016
Vagner Campos

Bando de filhos de uma boa mãe essa turma do correio .Isso só vai acabar quando esse serviço for privatizado, OU NO MINIMO UM CONCORRENTE.Lamento pela sua perda Camila, poxa vida..maior dor de cabeça, pra num falar que essa mereca de indenização num paga nada, seus aborrecimentos, perdas dos contatos, gastos, e tantos outros aborrecimentos.Eles fazem isso pq são estatal, nao tem o minímo respeito pela propriedade alheia , quanto menos pelo consumidor. me solidarizo com sua causa . e te falar que sofro com os correios aqui tb.Fazem isso pq sabem que a jurisprudência pra essas causas é federal..e da maior trabalho e leva anos pra se resolver uma causa dessa..BANDO DE F..#$%%¨&&***&&¨%%
viu…ABraços Camila e boa sorte

30 08 2017
Ivan

Acredito que a ouvidoria dos correios tem o grande trabalho de enviar a mesma mensagem a todos aqueles que estão com problemas e duvido muito que abram uma investigação interna para realmente resolver a razão do problema .. estou com problemas com 6 remessas postados no exterior e que já foram liberadas pela receita e no entanto o correio me informou que as mesmas foram extraviadas .. e ficam por isso mesmo .. a dor de cabeça que temos o tempo que esperamos, etc. e nenhum órgão competente assume a responsabilidade por intervir e solucionar os problemas, é um descaso total com o cidadão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: