Paris e o recomeço.

7 10 2010

Quando menos me dei conta já tinha saído da Espanha. Ainda no avião, decolando do aeroporto de Barajas, em Madri, olhava para o céu de lá e já pensava como era triste deixar aquele país que tinha me feito tão bem. Entretanto, esse pensamento passou rápido pela minha cabeça que, ao mesmo tempo, tentava se concentrar em manter a calma a bordo. Decolagens e pousos nunca foram o meu forte.

Cheguei a Paris de noite, e me dei conta de onde estava quando consegui ver lá do alto a torre Eiffel, toda iluminada e imponente, mesmo aparentando ser tão pequena. Depois de meses de planejamento, entre inúmeras opções de voos, albergues, bagagens a levar – e a deixar, pisei em solo francês com uma única mochila, que continha toda a minha vida até aquele momento, compactada em 18 quilos bem pesados. Como o meu limite para viajar para outro país era 20 quilos, tudo que comprei a partir daí foram cartões-postais e chaveiros.

Leia o resto deste post »